VILA DE ABREU DO UNA

Localização

A pequena vila de Abreu do Una se encontra na margem direita do estuário do Rio Una, tendo como coordenadas geográficas 080 51´38” S e 0350 08´19” W.
Está distante 6 km da sede do município, podendo ser acessada por estrada de terra, em meio a canaviais e coqueirais, ou por água, pelo mar, adentrando pela foz do Rio Una e depois estuário, tal como o acesso para a vila de Várzea do Una, chegando ao antigo porto fluvial.

Habitantes e Costumes

A vila possui cerca de 1.500 habitantes, muitos deles morando em casas de barro e palha, algumas delas ao lado de manguezais, sendo que grande parte são parentes entre si.
Geralmente à noite costumam conversar nas calçadas e assistir programas de televisão na praça da Capela de São João. Para a maioria dos habitantes, principalmente pescadores, o tempo é regido pelas marés.

Fontes de Renda

A principal fonte de renda é proveniente da atividade de pesca no mar ou estuário, mas outros trabalhos também são desenvolvidos em canaviais e fazendas de coco. Além disso, alguns habitantes se deslocam para trabalhos na sede do município ou em cidades vizinhas, como Barreiros e Tamandaré.

História

Na praia do Gravatá, até meados do século XX, havia um arruado com casas e armazéns, porto marítimo e terminal da estrada de ferro da Usina Central Barreiros. Lá também estava a casa de praia do Dr. Estácio de Albuquerque Coimbra, vice-presidente do Brasil entre 1922 e 1926 e governador de Pernambuco entre 1926 e 1930, quando foi deposto pela revolução.
Com a desativação do porto e terminal açucareiro, as estruturas e habitações foram desmontadas, não deixando á área qualquer lembrança dos áureos tempos.

Atrações Turísticas

Passeios

O passeio pelo estuário do Rio Una, contornando uma ilhota repleta de mangues, entre a foz e o antigo porto fluvial, pode ser feito em uma hora em pequenas canoas remadas por nativos.
Bem próximos da costa e quase unidos à Praia do Gravatá, encontram-se recifes de corais que ficam à mostra quando das marés baixas e onde podem ser observadas inúmeras espécies de animais marinhos.

Praias

A praia da vila, de águas calmas e mornas, chama-se Gravatá, sendo acessada por terra através de uma ponte de madeira. De rara beleza, semi-deserta e repleta de coqueirais e manguezais, tem a foz do Rio Una ao norte e a foz do Riacho Meireles ao sul.
As jangadas, escoradas nos rolos de troncos de coqueiros, com panos secando na vegetação rasteira e ondas quebrando bem próximo, possibilita uma excelente fotografia.

Festas

A festa principal da vila é em comemoração ao santo padroeiro São João, quando os habitantes se juntam aos visitantes para dançarem à vontade ao som das bandas e cantores locais.

Gastronomia

O Bar do Piriquito, que fica em meio a frondosas árvores, onde são colocadas mesas à vontade do cliente, sendo considerado um dos lugares mais pitorescos e aconchegantes de toda a região.
A forma de atendimento da adorável e irreverente Carminha, além da diversidade de pratos é um diferencial, sendo especialidades da casa a peixada à brasileira, ostra e sururu ao coco, camarão ao alho e olho, filé de aratu, fritada de camarão, pirão de caranguejo e siri-mole, além de deliciosos caldinhos de polvo e aratu.


Bar do Piriquito
 

Capela de São João
 

Ponte da Praia do Gravatá
 

Praia do Gravatá
 

Salinas do Abreu
                 

Antigo Porto Fluvial